Oxford Companion to Philosophy, org. por Ted Honderich
17 de Setembro de 2005 ⋅ Filosofia

O universo da filosofia

Desidério Murcho
Oxford Companion to Philosophy: New Edition, org. por Ted Honderich
Oxford: Oxford University Press, 2005, 1100 pp.
Comprar

Publicado pela primeira vez em 1995, este "Companion" rapidamente se tornou uma das melhores obras de consulta genérica de filosofia. Com as suas 1009 páginas e capa dura, tornou-se indispensável pela sua abrangência, rigor e clareza. Incluía todas as áreas da filosofia, mesmo a menos estudadas, assim como artigos sobre filosofia oriental clássica e pequenas sínteses históricas da filosofia de vários países (Espanha, Itália, etc.). A nova edição, acabada de publicar, apresenta artigos revistos e expandidos, assim como mais de trezentos artigos novos, nomeadamente sobre clonagem, globalização, paixão e emoção, humor, sexo, terrorismo, responsabilidade empresarial e muitos outros.

Os artigos mais longos são dedicados aos filósofos mais importantes e às disciplinas centrais da filosofia. Os artigos dedicados às disciplinas centrais da filosofia têm duas características interessantes. Por um lado, alguns foram escritos por filósofos contemporâneos muito influentes como Feyerabend, MacIntyre ou Jaegwon Kim. Por outro, dividem-se geralmente em dois artigos: um dedicado à história dessa disciplina, e outro dedicado à apresentação sistemática dos problemas, teorias e argumentos que a constituem.

De entre os cerca de 250 autores, destacam-se os seguintes filósofos, além dos já citados: Peter Singer, Anthony Kenny, Berlin, Davidson, Dummett, Dworkin, Foot, Hintikka, Kymlicka, Thomas Nagel, Quine, Searle e os Warnock. Estes filósofos escrevem sobre noções, teorias e problemas centrais da filosofia, o que constitui o segundo tipo de artigos do dicionário, situando-se entre os mais longos e os mais curtos, que esclarecem brevemente termos menos substanciais da filosofia. Tanto os artigos mais longos como muitos dos médios são acompanhados por uma útil bibliografia sucinta. A obra cumpre assim muito bem o papel de ajudar a dar os primeiros passos no estudo da filosofia.

Numa obra de consulta destas dimensões, qualquer juízo sólido terá de ser o resultado da consulta ao longo do tempo. Falando por mim, verifico que esta é a obra de consulta de filosofia geral de que mais me socorro com proveito. A única obra de dimensões e características análogas, com a qual consequentemente este "Companion" pode ser comparado, é o Cambridge Dictionary of Philosophy, org. por Robert Audi. Com apenas algumas excepções, os artigos do Companion são mais informativos, apesar da qualidade de muitos dos artigos da obra da Cambridge.

Traduzida em Espanha (Enciclopedia Oxford de Filosofía, Tecnos), este é o tipo de obra cuja tradução exigiria a existência entre nós de editoras universitárias sólidas. Acordos com o Brasil poderiam ajudar a suportar os custos — que em Espanha são diluídos por um universo de leitores incomparável com o universo de língua portuguesa. Num país onde se ensina filosofia obrigatoriamente durante dois anos no secundário, seria de esperar que este tipo de obra fosse do conhecimento geral — pois não se dirige a filósofos de ponta, mas a estudantes e professores do secundário que precisam de informação fidedigna e actualizada sobre várias áreas da filosofia. Enquanto não se traduz, e se lê inglês, aproveite a promoção da Amazon.co.uk, e compre esta nova edição com 30% de desconto.

Desidério Murcho
desiderio@ifac.ufop.br
Publicado no jornal Público (20 de Março de 2005)
Termos de utilização ⋅ Não reproduza sem citar a fonte