História da filosofia

João Paisana (1945–2000)

André Barata

João Paisana nasceu a 10 de Maio de 1945. Licenciou-se em Filosofia pela Faculdade de Letras de Lisboa em 1974, não sem um interregno forçado de cinco anos, período em que obteve uma primeira licença em filosofia no Instituto Superior de Filosofia da Universidade Católica de Lovaina. Docente na Faculdade de Letras de Lisboa desde 1975, doutora-se em 1988 com uma dissertação na área da Fenomenologia. Falece a 14 de Outubro de 2001. Publicou "Fenomenologia e Hermenêutica" (1992), um ensaio que se debruça sobre a tensão entre duas vias fenomenológicas — a de Edmund Husserl, explicitativa, e a de Martin Heidegger, hermenêutica —, não sem antes as expor e articular de forma exemplarmente clara. Este livro constitui hoje uma referência incontornável para os estudantes e investigadores do domínio. Publicou mais dois livros: "História da Filosofia e Tradição Filosófica" (1993) e "Husserl e a ideia de Europa" (1997).

Actualmente, João Paisana desenvolvia uma investigação em torno da tese de que o sujeito da experiência não é essencialmente um sujeito cognitivo, mas um sujeito prático. Desta tese, decorre uma caracterização da experiência como experiência pré-objectiva e pré-predicativa na esteira do Heidegger de "Ser e Tempo"; diferencia-se, contudo, pela tentativa de fazer brotar desta tematização da experiência uma filosofia da comunicação e uma ética originais.

Entre as diversas funções que desempenhava, destacam-se a coordenação do curso de Mestrado em Fenomenologia e Hermenêutica na Faculdade de Letras de Lisboa, a presidência da Associação Portuguesa de Filosofia Fenomenológica e a direcção da revista "Phainomenon" do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa.

O seu último escrito é um texto de opinião sobre o fundamentalismo islâmico, a guerra e o problema do choque civilizacional.

André Barata
anndrebarata@yahoo.com
Termos de utilização ⋅ Não reproduza sem citar a fonte