R. M. Hare
História da filosofia

R.M. Hare (1919–2002)

Simon Blackburn

Filósofo moral inglês, professor de filosofia moral em Oxford, e depois na Universidade da Florida. O primeiro livro de Hare The Language of Morals (1952) fez do *prescritivismo uma das teorias principais sobre a natureza dos juízos morais. As suas análises da noção de louvor e da noção de *universalizabilidade em ética continuam a ser marcos na aplicação da filosofia da linguagem à teoria moral. Nas obras seguintes (especialmente Freedom and Reason, 1963, e Moral Thinking: its Levels, Method, and Point, 1981), Hare tentou mostrar que os argumentos éticos podem ser garantidos pela razão, visto que os conceitos morais obedecem a uma lógica suficientemente forte para mostrar que uma certa forma de *utilitarismo é verdadeira. O utilitarismo de Hare procura equilibrar as virtudes de ambas as versões, directas e indirectas (ou orientadas pelas regras), da doutrina. A perspectiva resultante (com “dois níveis”) já mostrou ser controversa, afirmando os críticos que o agente moral fica numa posição instável, sem saber se deve deliberar à maneira de um “arcanjo” susceptível de raciocínio utilitarista, ou antes de uma maneira mais quotidiana, intuitiva e centrada sobre o agente (ver moral centrada sobre o agente).

Simon Blackburn

Texto retirado de Dicionário de Filosofia, de Simon Blackburn (Gradiva, 1997).
Termos de utilização ⋅ Não reproduza sem citar a fonte