The Earthsea Quartet

A poesia da frase

Desidério Murcho
The Earthsea Quartet, de Ursula Le Guin
Penguin, 1993, 691 pp.
Comprar

De 1968 a 1990 Ursula Le Guin publicou uma série de 4 romances localizados no mesmo mundo imaginário, Earthsea (ou Terramar, em português), e sobre o mesmo personagem: Ged. Desde então, alguns destes romances foram adoptados como leitura obrigatória nas escolas americanas e inglesas. E milhares de leitores em todo o mundo, dos mais novos aos mais velhos, não têm parado de se maravilhar com o mundo criado por Le Guin.

Os três primeiros títulos deste quarteto foram publicados em Portugal na colecção Argonauta dos Livros do Brasil, com a cuidada tradução de Eurico da Fonseca. Os seus títulos são: "O Feiticeiro de Terramar", "Os Túmulos de Atuan" e "O Outro Lado do Mundo". Espero que, a bem de quem não lê inglês, algum editor publique uma boa tradução portuguesa do último volume da série, "Tehanu".

Terramar é um mundo de pequenas e grandes ilhas, arquipélagos e muito, muito mar. Os seus habitantes são camponeses, pescadores e sábios. O ambiente é claramente medieval. A magia e os dragões dão a este mundo uma componente de fantasia. Contudo, a sábia integração destes elementos fantásticos nos outros pela pena maravilhosa de Le Guin nunca nos deixa uma impressão de irrealidade: tudo aquilo podia ser real.

O quarteto de Terramar acompanha Ged desde a sua infância à velhice. Ged é filho de humildes camponeses, mas revela desde cedo um talento especial para a magia. Este talento irá conduzi-lo pelos caminhos mais negros, em virtude da arrogância inconsciente da juventude. Num despique tolo com o melhor aluno da academia, Ged desequilibra as forças mágicas de Terramar. Terá agora de tentar corrigir o mal que trouxe ao seu mundo e aposta nisso a sua vida.

Descrito assim em termos gerais, o Quarteto de Terramar pode parecer mais um conjunto de páginas que não valem o tempo que se perde a lê-las. Engano! A narrativa de Le Guin é do melhor que já me foi dado ler pela sua subtileza, inteligência e poesia. Ged é um personagem inesquecível. As descrições e a trama narrativa tecida por Le Guin estão ao nível da melhor literatura que se pode ler. Mesmo os personagens secundários têm um recorte tão nítido que ficamos com pena de não haver um universo literário em torno de Terramar que explore cada um dos personagens que vão surgindo.

O Quarteto é indicado para jovens a partir dos 13 ou 14 anos. Os jovens encontrarão nesta obra um mundo mágico que faz sonhar e um personagem com o qual se podem identificar e em companhia do qual passarão pelos rituais de iniciação à vida de adulto. Mas o seu valor literário, a subtileza da narrativa, a poesia da frase, só pode ser realmente apreciado por adultos. Não perca este tesouro literário — sobretudo se leu e gostou dos livros de Harry Potter, pois esses são uma pálida cópia dos livros de Ged.

Desidério Murcho
Termos de utilização ⋅ Não reproduza sem citar a fonte