Os Mundos Mágicos de Harry Potter
Livros

Minúcias mitológicas

Leônidas Hegenberg
Os Mundos Mágicos de Harry Potter, de David Colbert
Mem-Martins: Europa-América, 2002, 228 pp.

A senhora J. K. Rowling, casou-se com um cidadão português e viveu parte de sua vida em Portugal. Presume-se que tenha passado parte de sua vida lendo e ouvindo estórias de feitiçaria. Divorciando-se, passou a morar na Inglaterra, país que, reconhecidamente, está entre os mais famosos na criação de lendas e mitos ligados à magia. Seus conhecimentos da matéria são realmente impressionantes e sua habilidade de explorá-los, colocando-os em narrativas graciosas, é ainda maior.

Rowling escreveu uma série de livros cujo herói é o menino "bruxo" Harry Potter. Entre eles, Harry Potter e a Pedra Filosofal, Harry Potter e a Câmara Secreta, Harry Potter e o Cálice de Fogo. As estórias encantaram o mundo porque estão erigidas sobre bases sólidas de folclore preservado através dos tempos. A par disso, Rowling cria novidades interessantes, valendo-se de pormenores extraídos das lendas que a tradição mantém viva. Traduzidos para meia centena de idiomas, os livros com as aventuras de Harry alcançam vendagens incríveis. Recentemente, as bruxarias da Pedra Filosofal chegaram às telas dos cinemas, para onde serão levados, a seguir, as demais narrativas.

Por seu turno, David Colbert, formado na Brown University, interessou-se por mitologia e, depois de "ligar-se" às estórias de Rowling, deliberou escrever este Os Mundos Mágicos de Harry Potter. Dominando amplamente os escritos da senhora Rowling, nosso autor os comenta de modo curioso, dissertando a respeito das criaturas fantasmagóricas e dos lugares assustadores em que ocorrem as peripécias do menino Potter.

Em ordem alfabética, Colbert esclarece minúcias relativas aos centauros, demônios da Cornualha, dragões, duendes, grifos, lulas gigantes, unicórnios. Tece comentários muito divertidos em torno de bruxos e criaturas fabulosas como Fawkes, Flamel, Malfoy, a professora McGonagal, Sirius Black e Vablatsky. Comenta o que se passa em lugares como a escola e a floresta de Howgards e o Egito, com sua esfinge.

E não deixa de mencionar o cálice de fogo e as vassouras voadoras, assim como o papel desempenhado pelo chocolate, certamente um dos melhores remédios para os diversos males que assolam o mundo de Harry — sobretudo os "dementadores", isto é, os causadores da doença mental conhecida como depressão.

Notar que o tema "Druidas" indica, no final, "Feiticeiros" — que, no entanto, foi omitido ou aparece com tradução diversa, por descuido dos revisores...

Ao final, Colbert dá algumas indicações bibliográficas (15 títulos), em que não faltam as estórias de J. R. R. Tolkien (The Lord of the Rings, de que já existe versão brasileira), assim como importantes enciclopédias (Of Witches and Witchcraft, de Rosemary E. Guiley), dicionários (Wizards and Sorcerers: From Abracadabra to Zoroaster, de T. Ogden) e guias (The Complete Guide to Middle-Earth, de R. Foster). A par disso, há, também, algumas indicações de "sites" onde encontrar, na "rede", dados de interesse, tanto relativos ao herói Potter, quanto à magia.

Leônidas Hegenberg
lh@phonet.com.br

Instituto Brasileiro de Filosofia
Termos de utilização ⋅ Não reproduza sem citar a fonte