A Morte Bateu à Porta, de Rex Stout
Livros

Invocar Jesus

Desidério Murcho
A Morte Bateu à Porta e Onde Está o Pai?, de Rex Stout
Tradução de Maria Emília Ferros Moura e Catarina Rocha Lima
Livros do Brasil, 1998, 298 pp.

Este é o nono volume da colecção Vampiro Gigante dedicada a Rex Stout, que os Livros do Brasil em boa hora decidiram iniciar em 1996. Cada volume desta excelente colecção, à semelhança das colecções análogas dedicadas a outros grandes vultos do romance policial, apresenta dois títulos. Até agora já foram publicados os seguintes pares de títulos:

1. Picada Mortal e Cozinheiros a Mais
2. A Quadrilha de Rubber e Por Cima do Meu Cadáver
3. O Caso do Testamento e O Cadáver Que Não se Calou
4. Duplo Crime Na Rádio e Caçada ao Sr. X
5. Problemas a Triplicar e Três Mistérios
6. O Livro Assassino e Três Testemunhas
7. A Vida Por Um Fio e Crimes e Mais Crimes
8. Morte em Três Actos e Onde Está a Mãe?

Se não conhece Rex Stout nem o seu detective Nero Wolfe, leia a apresentação que deles fiz aqui. Os títulos agora publicados são dos anos 60, e tanto quanto sei, são inéditos em Portugal. O primeiro evolui em torno de Orrie Cather, ajudante habitual de Nero Wolfe, e do homicídio da concubina a que o título original alude. Orrie Cather é acusado do homicídio e Nero Wolfe tem de recorrer a toda a sua perspicácia para deslindar o caso. A história representa uma variação interessante, pois Orrie nunca teve um papel proeminente nas histórias de Nero Wolfe. Outra característica interessante, aliás patenteada desde logo pelo título original, consiste no facto de surgir nesta obra, tanto quanto sei pela primeira vez, o uso de uma linguagem mais dura. A história está, como sempre montada de forma inteligente e cheia de passagens memoráveis, como esta:

— Fred, conhece Orrie há mais tempo do que eu. Encontra-se totalmente a par da situação. O que tem a dizer?
— Jesus! — exclamou Fred.
— Não é uma grande ajuda. Ele dir-lhe-ia muito simplesmente que se fosse embora e não pecasse mais.
(pág. 21)

Uma última nota: finalmente, a editora Livros do Brasil apresenta um livro decentemente composto, no qual os caracteres não estão todos desalinhados. Aparentemente, começou finalmente a compor os seus livros de forma profissional. Uma razão acrescida para o leitor comprar este título e se deliciar com a sua leitura — agora que é Verão, vem mesmo a calhar para as suas férias.

Desidério Murcho
desiderio@ifac.ufop.br
Termos de utilização ⋅ Não reproduza sem citar a fonte