Introdução à Filosofia da Religião
11 de Abril de 2011 ⋅ Filosofia da religião

Reflectir sobre a religião

Desidério Murcho
Introdução à Filosofia da Religião, de William L. Rowe
Tradução de Vítor Guerreiro
Revisão científica de Desidério Murcho
Lisboa: Verbo, 2011, 304 pp.
Comprar

A religião é objecto de estudo de diferentes disciplinas. O estudo filosófico da religião caracteriza-se por se ocupar da avaliação crítica das afirmações e práticas religiosas. Saber se há bons argumentos a favor da existência de Deus (ou contra), por exemplo, é um dos temas centrais da filosofia da religião. Outros temas incluem a análise da experiência mística, a relação entre a razão e a fé, a compatibilidade entre a existência do deus teísta e o mal (moral e natural) que existe aparentemente no mundo, a compatibilidade entre a presciência de Deus e o livre-arbítrio humano, etc. Infelizmente, muitas pessoas pensam que a filosofia da religião é coisa do passado e que qualquer discussão nesta área tem o propósito meramente escolar de "treinar o raciocínio". Isto é falso e este é um dos muitos livros sobre filosofia da religião que poderá ajudar a curar a ignorância que infelizmente grassa entre nós. O próprio autor começa por declarar que "durante a segunda metade do séc. XX, a filosofia da religião viu um crescimento sem precedentes — tanto em termos do número de filósofos que se dedicam a esta disciplina, como em termos de novos desenvolvimentos no seio da filosofia da religião" (pág. 11).

Rowe é um dos mais destacados especialistas nesta área da filosofia. Professor na Universidade de Purdue (EUA), é autor de Can God Be Free? (2004) e de The Cosmological Argument (1998), entre outros livros, organizou a antologia God and the Problem of Evil (2001), na prestigiada colecção Blackwell Readings in Philosophy, e é autor de vários artigos de filosofia da religião publicados nas revistas da especialidade.

Precisamente porque esta introdução está firmemente ancorada na discussão contemporânea, apresenta e discute algumas das ideias clássicas da área. Por isso, quem pensa que a filosofia contemporânea ignora a sua história fará bem em ler esta introdução. Com treze capítulos, o autor dedica os primeiros cinco à discussão dos atributos do Deus teísta e aos três argumentos tradicionais mais influentes: o argumento cosmológico, o argumento ontológico e o argumento do desígnio (tanto o velho, pré-darwinista, como o novo, imune ao darwinismo). Nestes capítulos, apresenta-se e discute-se ideias e argumentos de Tomás de Aquino, Anselmo, Leibniz, Hume e Kant, entre outros. A ênfase é colocada na formulação e discussão de versões contemporâneas, mais sofisticadas, dos argumentos tradicionais. Os capítulos são curtos e escritos numa linguagem clara e acessível, mas sem esconder o pormenor e sofisticação de algumas discussões da área. Seguem-se capítulos sobre a experiência religiosa, o fideísmo e a explicação freudiana da crença religiosa. O importante problema do mal tem um capítulo próprio, assim como o problema da existência de milagres, a vida depois da morte, o aparente conflito entre a presciência de Deus e o livre-arbítrio humano, e os desafios levantados pela existência de diferentes religiões.

Incluindo questões de revisão e problemas no final de cada capítulo, esta é talvez a introdução à filosofia da religião mais adequada para publicar entre nós, de entre as muitas existentes em língua inglesa.

Desidério Murcho

Índice

Prefácio à quarta edição
Agradecimentos
Introdução

  1. A ideia de Deus
  2. O argumento cosmológico
  3. O argumento ontológico
  4. O argumento do desígnio (o antigo e o novo)
  5. Experiência mística e religiosa
  6. Fé e razão
  7. O problema do mal
  8. Milagres e a mundividência moderna
  9. Vida depois da morte
  10. Predestinação, presciência divina e liberdade humana
  11. Pluralidade de religiões

Glossário de conceitos e ideias importantes
Leitura complementar
Índice remissivo

Termos de utilização ⋅ Não reproduza sem citar a fonte