Schopenhauer
24 de Janeiro de 2006 ⋅ Teses de filosofia

Apresentação

Fábio Libório Rocha
O Conceito de Servo-Arbítrio em Schopenhauer, de Fábio Libório Rocha
Supervisão de Edson Resende Peixoto Filho
Dissertação de Mestrado
Universidade Universidade Gama Filho, Brasil
Rio de Janeiro, 2000, 85 pp. (19 229 palavras)
Puxar

Esta dissertação tem por objetivo advogar em favor da ausência de liberdade de querer, segundo a filosofia schopenhauriana, como conseqüência da fraqueza do intelecto perante a potente vontade do sujeito. A liberdade ou o livre-arbítrio, comummente entendido como ausência de necessidade, é uma impossibilidade, na filosofia schopenhauriana. A noção de livre-arbítrio, que Schopenhauer refutou, anuncia uma noção de servidão à vontade, que aqui denominamos pelo conceito de servo-arbítrio, tema luterano. Faz-se um diagnóstico, apresentando os cenários filosóficos da guerra em que a condição de liberdade do sujeito quanto aos fatores de tempo, espaço e causalidade, encontra-se impossibilitada devido à servidão do sujeito à vontade. A consciência da vulnerabilidade do conceito de liberdade foi debatida por Schopenhauer em dois momentos. Primeiramente, na reflexão da servidão do sujeito à necessidade pela vontade inconsciente, na obra O Mundo como Vontade e Representação, livro quarto e, posteriormente, na conceituação do livre-arbítrio feita por Schopenhauer na obra O Livre Arbítrio.

Graduei-me em História na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Após esta graduação, obtive um mestrado em Filosofia na Universidade Gama Filho, onde pesquisei o conceito de liberdade perante o filósofo Schopenhauer. Fui editor científico de uma revista de filosofia de pós-graduação, a Légein, editada na Universidade Gama Filho no ano de 2001. Lancei um livro chamado Schopenhauer e o Assassinato do Desejo, em 2003 (Editora Kaygangue). Recentemente, em julho de 2004, lancei outro livro intitulado, Lusitânia Romana, pela Universidade do Contestado. Nesta Universidade, realizei outro livro, em 2005, chamado Ecos Multiculturais na Pedagogia: Educação e Tolerância no Planalto Norte-Catarinense. Atualmente estou me doutorando em História, na Universidade Federal do Paraná, com uma tese sobre o Santo Apríngio de Beja, que escreveu um comentário ao Apocalipse de João. Sou igualmente docente da Uniguaçu e da Universidade do Contestado onde ministro as disciplinas de Filosofia I e II, e Ética.

Fábio Libório Rocha
antiguidadetardia@yahoo.com.br
Termos de utilização ⋅ Não reproduza sem citar a fonte