O Significado das Coisas, de A. C. Grayling
Maio de 2003 ⋅ Filosofia Aberta

Ponderação e sabedoria

O Significado das Coisas: A Aplicação da Filosofia à Vida, de A. C. Grayling
Tradução de Maria de Fátima St. Aubyn
Gradiva, Abril de 2003, 244 pp., 14 €
ComprarNota editorialExcerto
Recensão 1Recensão 2

Poderemos ter uma vida plena de significado no mundo moderno, com as religiões em crise ou cristalizando-se em fanatismos primevos? Poderá a filosofia dar-nos respostas que nos orientem na vida e no pensamento? A resposta de A. C. Grayling a estas duas perguntas é um retumbante “Sim”.

Recolhendo máximas de sabedoria das mais diversas fontes, explicando o seu significado ou contestando a sua verdade, o autor condensa nesta obra milénios de sabedoria actualizada para fazer frente ao mundo moderno. Quer concordemos quer discordemos do autor, esta obra dá que pensar e — mais importante ainda — mostra como pensar com lucidez e sem dogmas.

Nesta obra de filosofia aplicada à vida, plena de significado e elegância, A. C. Grayling oferece ao leitor trilhos de sabedoria que se tornaram raros a partir da Antiguidade Grega. O filósofo como pensador que reflecte sobre os significados das coisas e da vida e nos alarga horizontes e aprofunda a compreensão de nós e do mundo tornou-se uma figura rara. Nesta obra plena de serenidade e bonomia, o autor mostra que a filosofia aplicada à vida dá um novo sentido à existência civilizada, lúcida e reflectida.

Do máximo interesse para todas as pessoas que procuram dar um significado pleno às suas vidas, esta é uma obra que lemos e relemos, que guardamos e relembramos.

A. C. Grayling

Sobre o autor

A. C. Grayling é Leitor de Filosofia no Birkbeck College da Universidade de Londres. Autor do aclamado An Introduction to Philosophical Logic (Blackwell, 3.a ed., 1997), de Russell (Oxford University Press, 1996) e Wittgenstein (Oxford University Press, 1988), organizou os volumes Philosophy: A Guide Through the Subject (Oxford University Press, 1995) e Philosophy: Further Through the Subject (Oxford University Press, 1998), que imediatamente se tornaram obras de referência. Um dos mais respeitados filósofos da tradição analítica, A. C. Grayling revela no presente livro o verdadeiro alcance universal desta forma de encarar a filosofia, que a devolve às suas origens mais nobres do pensamento logicamente articulado e conceptualmente rigoroso.

Índice

Introdução

PARTE I: Virtudes e Atributos

Moralizar
Tolerância
Misericórdia
Civilidade
Compromisso
Medo
Coragem
Derrota
Mágoa
Morte
Esperança
Perseverança
Prudência
Franqueza
Mentira
Perjúrio
Traição
Lealdade
Culpa
Castigo
Delírio
Amor
Felicidade

PARTE II: Inimigos e Falácias

Nacionalismo
Racismo
Especismo
Ódio
Vingança
Intemperança
Depressão
Cristianismo
Pecado
Arrependimento

Milagres
Profecia
Virgindade
Paganismo
Blasfémia
Obscenidade
Pobreza
Capitalismo

PARTE III: Amenidades e Bens

Razão
Ensino
Excelência
Ambição
Representar
Arte
Saúde
Lazer
Paz
Leitura
Memória
História
Chefia
Viagens
Privacidade
Família
Velhice
Presentes
Ninharias

Termos de utilização ⋅ Não reproduza sem citar a fonte