Menu
Pensar de A a Z
15 de Setembro de 2012 ⋅ Filosoficamente

Para pensar melhor

Pensar de A a Z, de Nigel Warburton
Lisboa: Bizâncio, Setembro de 2012, 240 pp.
Tradução de Vítor Guerreiro
Revisão científica e introdução de Desidério Murcho
ComprarRecensão

Quando as pessoas dizem “a mim nunca me fez mal”, cometem uma falácia indutiva? O que é realmente um ataque ad hominem? Será sempre falacioso argumentar dessa maneira? E o que é afinal uma falácia? E um argumento?

Com a linguagem simples e directa que é a sua assinatura, Warburton apresenta neste livro esclarecimentos importantes para quem quiser aprender a pensar melhor. Escolhendo quase sempre exemplos da vida pública, o autor mostra como estamos muitas vezes rodeados de pensamento inválido, sem disso nos apercebermos. E mostra como responder adequadamente aos argumentos inválidos, e como não cair nesses alçapões do raciocínio quando defendemos as nossas próprias ideias.

Seja lido de cabo a rabo, seja como obra de consulta, este livro é obrigatório para toda a população, sobretudo aquela que gosta de se posicionar nos debates públicos.

Nigel Warburton

Sobre o autor

Nigel Warburton é professor na Open University e autor de vários livros de filosofia que são sucessos de vendas: Grandes Livros de Filosofia, (Edições 70, 2001), Elementos Básicos de Filosofia (Gradiva, 2007), O que é a Arte? (Bizâncio, 2007), Uma Pequena História da Filosofia (Edições 70, 2012), The Basics of Essay Writing (Routledge, 2006), Philosophy: The Essential Study Guide (Routledge, 2004), Freedom: An Introduction with Readings (Routledge, 2000) e Liberdade de Expressão: Uma Breve Introdução (Gradiva, 2015).

Índice

Prefácio à edição portuguesa (Desidério Murcho)
Agradecimentos
Introdução
Pensar de A a Z