Filosofia da ciência

18 de Novembro de 2018   Filosofia da ciência

Para pensar sobre a ciência

Dennis Bessada
Introdução à Filosofia da Ciência
de Lisa Bortolotti
Tradução de Jorge Beleza
Lisboa: Gradiva, 2013, 335 pp.

No ano de 2015 foram divulgadas na imprensa algumas notícias acerca de uma das mais esperadas descobertas científicas dos últimos tempos. Em matéria divulgada pelo sítio da National Science Foundation dos Estados Unidos (uma das principais agências de financiamento de pesquisas científicas deste país)...

10 de Fevereiro de 2001   Filosofia da ciência

Um acidente cósmico

Thomas Nagel
The Pattern of Evolution
de Niles Eldredge
W.H. Freeman & Company, 1999, 219 pp.

Unweaving the Rainbow
de Richard Dawkins
Penguin, 1999, 352 pp.

Os biólogos contemporâneos que escrevem para o público em geral têm, na maior parte das vezes, mais a comunicar do que informações de carácter científico. Têm lições a dar sobre como devemos pensar sobre nós mesmos e sobre a nossa relação com o Universo.

15 de Agosto de 2003   Filosofia da ciência

Nem gregos nem troianos

Desidério Murcho
O Mistério de Todos os Mistérios
de Michael Ruse
Vila Nova de Famalicão: Quasi, 2002, 320 pp.

Este livro é um “case study”. Usando a história da teoria da evolução pela selecção natural, o autor procura determinar até que ponto é a evolução biológica uma mera construção humana, como defendem alguns sociólogos e filósofos, ou se é uma realidade, como defendem outros filósofos e praticamente todos os cientistas.

1 de Março de 2004   Filosofia da ciência

Pensamento teleológico

Miguel Amen
Darwin and Design: Does Evolution Have a Purpose?
de Michael Ruse
Harvard University Press, 2003, 384 pp.

O título deste livro é enganador, pois o objectivo de Michael Ruse não é investigar se a evolução darwinista tem alguma finalidade última que guie os vários processos de variação e selecção, mas sim a de averiguar qual o lugar do pensamento teleológico, qual o lugar de conceitos como desígnio, causas finais, função e propósito, no estudo da biologia...

20 de Janeiro de 2012   Filosofia da ciência

A natureza da ciência empírica segundo Berkeley

J. O. Urmson
Tradução de Jaimir Conte

Memorandum. Há muito que recomendar e aplaudir na filosofia experimental”, afirmou Berkeley nos seus cadernos de anotações pessoais (C 498). Esta recomendação não era só de fachada. O interesse de Berkeley pela ciência experimental, ou filosofia experimental como a denominava, segundo o uso normal nos séculos XVII e XVII, foi intenso e genuíno.

9 de Março de 2009   Filosofia da ciência

Direção da causalidade

Matheus Martins Silva
Causalidade e Direção do Tempo: Hume e o Debate Contemporâneo
de Túlio Aguiar
Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008, 177 pp.

Imagine que atiro uma pedra num lago, provocando uma série de pequenas ondas concêntricas. Os filósofos dirão que esta ação envolve um processo causal: o ato de jogar a pedra é a causa e as ondas concêntricas o efeito. Também dirão que, a princípio, parece que nunca observamos o inverso desse processo, em que surgiriam primeiro as ondas e só depois a pedra cairia no lago.

20 de Novembro de 2005   Filosofia da ciência

A relação entre a ciência e a filosofia

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

A demarcação das ciências naturais em relação à filosofia foi um processo longo e gradual no pensamento ocidental. Inicialmente, a investigação da natureza das coisas consistia numa mistura entre o que hoje seria visto como filosofia (considerações gerais das mais vastas sobre a natureza do ser e a natureza do nosso acesso cognitivo a ele) e o que hoje seria considerado como próprio das ciências particulares...

9 de Abril de 2006   Filosofia da ciência

Albert Einstein como filósofo da ciência

Don A. Howard
Tradução de Rui Vieira da Cunha

Hoje em dia, o compromisso explícito com a filosofia da ciência quase não tem lugar na preparação dos físicos ou na investigação física. O pouco que os estudantes aprendem sobre temas filosóficos é normalmente aprendido ao acaso, por uma espécie de osmose intelectual. Apanham-se ideias ou opiniões na sala de aulas, no laboratório, e em colaboração com o supervisor.

22 de Março de 2011   Filosofia da ciência

A epistemologia da ciência

David Papineau
Tradução de Luiz Helvécio Marques Segundo

A filosofia da ciência pode ser proveitosamente divida em duas amplas áreas. A epistemologia da ciência lida com a justificação da alegação de que temos conhecimento científico. A metafísica da ciência investiga aspectos filosoficamente intrigantes do mundo descrito pela ciência.

2 de Março de 2010   Filosofia da ciência

O pastor, a ovelha e a definição de verdade

Pedro Pereira Romano
Facing Up: Science and its cultural adversaries
de Steven Weinberg
Cambridge, Mass. e Londres: Harvard University Press, 2003, 306 pp.

Steven Weinberg é um físico peculiar. Apesar de ser o autor do artigo mais citado de sempre da história da física, raramente reserva para as equações que lhe granjearam o prémio Nobel (1979) um papel mais do que secundário nos seus livros.

5 de Maio de 2003   Filosofia da ciência

A interdependência entre filosofia e ciência

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

A física e a filosofia são duas formas profundamente interdependentes de procurar compreender o mundo e o nosso lugar como agentes de conhecimento do mundo. Tradicionalmente, a filosofia tentou descrever a natureza do mundo nos termos mais gerais. Renunciando à descrição e classificação minuciosas dos múltiplos fenómenos da natureza, deixando isso como tarefa para as ciências particulares...

19 de Setembro de 2004   Filosofia da ciência

O que é a filosofia da ciência?

David Papineau
Tradução de Pedro Santos

A filosofia da ciência pode ser dividida em duas grandes áreas: a epistemologia da ciência e a metafísica da ciência. A epistemologia da ciência discute a justificação e a objectividade do conhecimento científico. A metafísica da ciência discute aspectos filosoficamente problemáticos da realidade desvendada pela ciência.

1 de Janeiro de 1998   Filosofia da ciência

A tese de Duhem

Donald Gillies
Tradução de Pedro Galvão

Entre as muitas contribuições importantes de Duhem para a filosofia da ciência, talvez a mais importante seja a sua formulação daquilo a que chamarei tese de Duhem. Com a sua clareza e agudeza habituais, Duhem formula a sua tese numa secção com o seguinte título: “Uma Experiência na Física Nunca Pode Condenar uma Hipótese Isolada, mas Apenas um Grupo Teórico no seu Todo”.

28 de Novembro de 2008   Filosofia da ciência

Indução e filosofia da ciência

Stephen Law
Tradução Carlos Marques

A filosofia da ciência é uma das mais velhas subdivisões da filosofia, remontando pelo menos a Aristóteles. Está hoje em rápido crescimento, uma vez que os grandes avanços científicos do último século têm levado os filósofos a pensar mais cuidadosamente sobre a ciência. Estes filósofos poderão vir a influenciar o futuro da ciência.

23 de Julho de 2016   Filosofia da ciência

O modelo da cobertura por leis

David Papineau
Tradução de Pedro Galvão

Tanto na ciência como na vida quotidiana, o objectivo da investigação é frequentemente encontrar uma explicação para um fenómeno intrigante. Mas o que é exactamente uma explicação? E como contribui o nosso conhecimento de verdades gerais para a nossa capacidade de explicar?

17 de Setembro de 2004   Filosofia da ciência

Filosofia e ciências da natureza

Alguns elementos históricos
Aires Almeida

Este ensaio pretende oferecer ao aluno uma panorâmica geral e introdutória do modo como os filósofos têm encarado as ciências da natureza ao longo da história, e apresentar simultaneamente alguns elementos básicos da própria história do desenvolvimento científico.

10 de Fevereiro de 1998   Filosofia da ciência

Criteriologia de segunda ordem

Pedro Galvão
A Historical Introduction to the Philosophy of Science
de John Losee
Oxford: Oxford University Press, 2001, 4.ª ed., 328 pp.

Acompanhar a filosofia da ciência numa perspectiva primariamente histórica, e não temática, tem os seus atractivos. John Losee adoptou essa perspectiva na sua “Introdução Histórica à Filosofia da Ciência” e soube explorar esses atractivos. Com este livro podemos ver não só como os filósofos foram respondendo às propostas dos seus contemporâneos e antecessores, mas também como a filosofia da ciência evoluiu...

16 de Dezembro de 2005   Filosofia da ciência

De Copérnico a Feynman

António Fonseca
História da Ciência: De 1543 ao Presente
de John Gribbin
Mem-Martins: Europa-América, 2005, 608 pp.

Quando pegamos pela primeira vez neste substancial volume de 600 páginas, que nos promete contar a história da ciência ocidental dos últimos 500 anos, somos assaltados pela inevitável vontade de o ler de um só fôlego. Logo na capa, na edição da Penguin, deparamos com uma belíssima reprodução renascentista de “Os Geógrafos”, uma imagem fortemente ilustrativa...

8 de Janeiro de 2012   Filosofia da ciência

O que é uma lei da natureza?

A. J. Ayer
Tradução de Sérgio R. N. Miranda e Aluízio Couto

Num certo sentido, sabemos suficientemente bem o que comumente se quer dizer com “lei da natureza”. Podemos dar exemplos. São ou acredita-se que sejam leis da natureza: que a órbita de um planeta em torno do Sol seja elíptica; que o arsênico seja venenoso; que a intensidade de uma sensação seja proporcional ao logaritmo do estímulo...

2 de Setembro de 2006   Filosofia da ciência

A história de todos nós

Desidério Murcho
Big Bang
de Simon Singh
Tradução de Paulo Ivo Cortez Teixeira e José Braga
Lisboa: Gradiva, 2010, 584 pp.

Se quiser ler apenas um livro este ano, leia este. Além de muitíssimo bem escrito, combinando com mestria a sobriedade e o distanciamento com o humor e a leveza, é de tal forma abrangente e o tema é tão central que é praticamente impossível ser uma pessoa culta e ignorar este livro.

15 de Março de 2011   Filosofia da ciência

Realismo e anti-realismo

Luiz Helvécio Marques Segundo
The Philosophy of Science
org. David Papineau
Oxford: Oxford University Press, 1996, 339 pp.

Os cientistas nos surpreendem freqüentemente: energia escura, bactérias que deram origem a complexos celulares, universo eterno, quarks e leptons, ar deflogisticado, éter, grávitons, e assim por diante. Muitas dessas coisas existem; algumas nunca existiram, e outras talvez nunca saibamos.

16 de Julho de 2010   Filosofia da ciência

Popper e a lógica da mecânica quântica

Maria Luisa Dalla Chiara e Roberto Giuntini
Tradução de Jonas Rafael Becker Arenhart

Terminou recentemente o centenário do nascimento de Karl Popper, em 2002, e com isso as celebrações, os congressos e as comemorações, das quais participou também a comunicação social. Popper é de fato um dos poucos pensadores interessados nos problemas científicos cujo nome se tornou conhecido do público mais amplo.

18 de Outubro de 2009   Filosofia da ciência

A probabilidade e a explicação estatística segundo os filósofos

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

É para nós muito vantajoso ter a capacidade de prever de modo fidedigno o que vai acontecer no futuro. Em certos casos muito excepcionais, podemos prever que o futuro terá um e apenas um resultado, o que acontece, por exemplo, quando prevemos a posição futura de um dos planetas a partir da sua condição presente e das leis dinâmicas do movimento.

3 de Junho de 2011   Filosofia da ciência

Convite à reflexão

Celso Neto
Philosophy of Science: A Very Short Introduction
de Samir Okasha
Oxford: Oxford University Press, 2002, 154 pp.

Precisamos de mais um texto introdutório em filosofia da ciência? Esta questão vem à tona a cada novo lançamento na área, demandando de nós uma avaliação criteriosa dos inúmeros Introductory Readings que chegam ao mercado editorial ano após ano.

12 de Fevereiro de 2012   Filosofia da ciência

A teoria de tudo

David Deutsch
Tradução de Desidério Murcho

Lembro-me de me ser dito, quando era criança, que em tempos idos era ainda possível a uma pessoa de muita instrução saber tudo o que se sabia. Foi-me igualmente dito que hoje em dia sabe-se tanto que não era concebível que alguém soubesse mais do que uma diminuta fracção disso, ainda que numa vida longa. A última proposição surpreendeu-me e fez-me ficar desapontado.

16 de Setembro de 2004   Filosofia da ciência

Bibliografia seleccionada de filosofia da ciência

Ward E. Jones e Samir Okasha
Com W.H. Newton-Smith

Gostaríamos de agradecer a Tony Atkinson, Harvey Brown, Paul Castell, Helena Cronin, Martin Davies, Dorothy Edgington, Elizabeth Frazer, Miranda Fricker, James Logue, Ana Nettel, John Preston, John Roche, Simon Saunders, Tom Stoneham, Maricio Suarez, e Adam Swift pela sua ajuda na compilação desta bibliografia.

Filosofia da física

3 de Fevereiro de 2006   Filosofia da ciência

Filosofia da física e filosofia em geral

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

Pode ser útil explicar por que razão o estudo dos fundamentos das teorias físicas e dos seus aspectos filosóficos é útil para os filósofos que não estejam especialmente preocupados com a natureza da física. Gostaria de sugerir que os problemas investigados pelos filósofos da física e os métodos que usam para abordar esses problemas podem também trazer alguma luz às questões filosóficas mais gerais.

26 de Dezembro de 2005   Filosofia da ciência

Física moderna e filosofia

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

É útil ter uma perspectiva preliminar de algumas das maneiras como os resultados da física moderna afectaram questões filosóficas. Isso pode acontecer quando um estudo teórico em física alarga aquelas que se pensavam ser as fronteiras do seu domínio de investigação. Considere-se, por exemplo, a cosmologia actual.

1 de Janeiro de 2007   Filosofia da ciência

Como sabemos qual é a verdadeira geometria do mundo?

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

Houve uma mudança de atitude na comunidade científica e filosófica, que se seguiu à revolução científica do século XVII, perante o tema dos fundamentos ideais do nosso conhecimento do mundo. Anteriormente pensava-se que uma proposição podia ser conhecida com um tipo de certeza que resultava apenas da razão pura...

30 de Novembro de 2006   Filosofia da ciência

A gravidade e a curvatura do espaço-tempo

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

Na sua obra mais importante, os Principia, Newton propôs uma teoria que, entre outras coisas, iria explicar o movimento dos planetas em torno do Sol por meio das órbitas elípticas que Kepler descrevera com grande cuidado. A teoria que explica este movimento tem duas componentes.

27 de Outubro de 2006   Filosofia da ciência

Do espaço e do tempo ao espaço-tempo

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

Embora Newton tivesse postulado o “espaço em si” como o objecto de referência em relação ao qual as acelerações geravam forças inerciais observáveis, considerava-se que o movimento uniforme em relação ao espaço em si não tinha consequências observáveis.

4 de Fevereiro de 2007   Filosofia da ciência

Que tipo de ser tem o espaço-tempo?

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

É impossível explorar os problemas acerca do nosso conhecimento do espaço e do tempo sem entrar nas questões do ser, nas chamadas “questões metafísicas”. Uma abordagem positivista do significado das teorias, destinada a eliminar o problema da subdeterminação por meio da identificação do conteúdo de uma teoria com o conteúdo das suas consequências observacionais, requer uma atitude irrealista...

8 de Março de 2006   Filosofia da ciência

Problemas filosóficos tradicionais sobre o espaço e o tempo

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

Os grandes filósofos da Grécia antiga colocaram-se perante o problema de compreender o que é ter conhecimento sobre o mundo. Quais, perguntaram eles, são os fundamentos e os limites da nossa capacidade para conhecer o que realmente se verifica no mundo que nos rodeia?

11 de Abril de 2006   Filosofia da ciência

O debate entre Newton e Leibniz

Lawrence Sklar
Tradução de Desidério Murcho, Pedro Galvão e Paula Mateus

No século XVII, a filosofia do espaço e do tempo tornou-se um tema central da metafísica e da epistemologia. A discussão atingiu um ponto elevado no importante debate entre Leibniz, o grande filósofo e matemático alemão, e Newton, o grande físico e matemático inglês.

Ciência e não-ciência

5 de Março de 2020   Filosofia da ciência

Ciência e religião

Samir Okasha
Tradução de Gustavo Coelho

A tensão entre ciência e religião é antiga e bem documentada. Talvez o exemplo mais conhecido seja o embate entre Galileu e a Igreja Católica. Em 1633, a Inquisição forçou Galileu a abandonar publicamente suas teses copernicanas, e o condenou a passar os últimos anos de sua vida em prisão domiciliar, em Florença.

18 de Julho de 2016   Filosofia da ciência

A invenção da ciência

David Wootton
Tradução de Desidério Murcho

A astrologia já foi considerada uma ciência, assim como a teologia, é claro. Nas universidades medievais o currículo principal era constituído pelas sete “artes” e “ciências” liberais: gramática, retórica e lógica; matemática, geometria, música e astronomia (incluindo astrologia).

14 de Julho de 2017   Filosofia da ciência

Para uma demarcação entre ciência e pseudociência

James Ladyman
Tradução de Hélio S. C. Carneiro

A pseudociência é um fenômeno complexo como a ciência e, como a treta, pode ser sofisticada e artisticamente elaborada. É social, política e epistemicamente importante fazer a taxonomia desses fenômenos, e o presente capítulo oferece uma modesta contribuição para tal projeto. Argumentarei, primeiro, que o conceito de pseudociência é diferente dos conceitos de não-ciência, de má ciência e de fraude científica.

4 de Setembro de 2004   Filosofia da ciência

O problema da demarcação

Peter Achinstein
Tradução de Paulo Sousa

O problema da demarcação consiste em distinguir a ciência das disciplinas não científicas que também pretendem fazer afirmações verdadeiras sobre o mundo. Os filósofos da ciência foram propondo vários critérios...

20 de Junho de 2016   Filosofia da ciência

Ciência e senso comum

Ernest Nagel
Tradução de Pedro Galvão

Ninguém duvida seriamente de que muitas das ciências particulares existentes se desenvolveram a partir das necessidades práticas da vida quotidiana: a geometria a partir de problemas de medição dos campos, a mecânica a partir de problemas suscitados pelas artes arquitectónicas e militares, a biologia a partir de problemas da saúde humana e da criação de animais...

21 de Outubro de 2004   Filosofia da ciência

A filosofia da conjectura

Pedro Galvão
Conjectures and Refutations: The Growth of Scientific Knowledge
de Karl Popper
Londres: Routledge & Kegan Paul, 1963, 610 pp.

De acordo com a célebre afirmação de Whitehead, a história da filosofia resume-se a uma série de notas de rodapé a Platão. Com um exagero mais tolerável, pode-se afirmar que os livros de Karl Popper consistem numa série de notas de rodapé à sua obra filosoficamente mais robusta e conseguida — A Lógica da Descoberta Científica.

1 de Janeiro de 1998   Filosofia da ciência

O que é a ciência?

John Sommerville
Tradução e adaptação de Luís Filipe Bettencourt

Tomo a liberdade de me dirigir a si rogando-lhe que seja o juiz numa disputa entre mim e uma pessoa minha conhecida que já não posso considerar um amigo. A questão em discussão é a seguinte: É a minha criação, a guardachuvalogia, uma ciência? Permita-me que explique a situação.

1 de Janeiro de 1998   Filosofia da ciência

O que é a ciência?

Paul Davies
Tradução de Desidério Murcho

A ciência tem de envolver mais do que a mera catalogação de factos e do que a descoberta, através da tentativa e erro, de maneiras de proceder que funcionam. O que é crucial na verdadeira ciência é o facto de envolver a descoberta de princípios que subjazem e conectam os fenómenos naturais.

21 de Maio de 2009   Filosofia da ciência

Um diálogo sobre o falsificacionismo

Desidério Murcho

Paulo — Gostei muito da aula de hoje. Achei a teoria de Popper fascinante! A ideia de dar importância ao que se pode provar que é falso em vez de dar importância ao que se pode provar que é verdadeiro é realmente brilhante.

28 de Julho de 2015   Filosofia da ciência

É a ciência uma religião?

Richard Dawkins
Tradução de Eliana Curado

Está na moda ter uma raiva apocalíptica da ameaça que representa à humanidade o vírus da AIDS, o mal da “vaca louca” e muitos outros, mas penso que devemos nos preocupar com a , um dos grandes males do mundo, comparável ao vírus da varíola, mas mais difícil de erradicar.

2 de Outubro de 2004   Filosofia da ciência

O último alquimista

Desidério Murcho
Isaac Newton
de James Gleick
Londres: Fourth Estate, 2003, 288 pp.

De James Gleick estão publicadas entre nós as obras “Cada Vez Mais Rápido” (Temas e Debates, 2003), “Feynman: A Natureza do Génio” (Gradiva, 1993) e “Caos” (Gradiva, 1989). Este novo livro não desilude. Rigoroso mas acessível, sintético mas abrangente, Gleick oferece-nos uma biografia surpreendente de Newton.

7 de Janeiro de 2018   Filosofia da ciência

Ciência e pseudociência

Sven Ove Hansson
Tradução de Israel Vilas Bôas

A demarcação entre ciência e pseudociência faz parte da tarefa mais abrangente de determinar quais são as crenças epistemicamente justificadas. Este verbete esclarece a natureza específica da pseudociência em relação a outras categorias de doutrinas e de práticas não-científicas, inclusive a recusa da ciência e a resistência aos fatos.

25 de Março de 2016   Filosofia da ciência

Um exemplo de investigação científica

Carl Hempel
Tradução de Pedro Galvão

Para ilustrar com simplicidade alguns aspectos importantes da investigação científica, consideremos os estudos de Semmelweis sobre a febre de parto. Ignaz Semmelweis, um médico de origem húngara, realizou esses estudos de 1844 a 1848 no Hospital Geral de Viena.

8 de Julho de 2015   Filosofia da ciência

Ciência e superstição

Patrick J. Hurley
Tradução de Álvaro Nunes

A ideia de que a mente humana no seu esforço para compreender a realidade é capaz de operar a níveis diferentes é tão velha quanto a própria filosofia. Há vinte e quatro séculos Platão traçou uma distinção entre aquilo a que chamou opinião e conhecimento.

3 de Fevereiro de 2010   Filosofia da ciência

Uma nova maneira de explicar a explicação

David Deutsch
Tradução de Desidério Murcho

Estou certo que ao longo dos cento e tal mil anos de existência da nossa espécie, e até antes, os nossos antecessores olhavam para o céu nocturno e perguntavam-se o que são as estrelas. Perguntavam-se portanto como explicar o que viam em termos de coisas que não viam.

1 de Maio de 2016   Filosofia da ciência

O falsificacionismo de Karl Popper

David Papineau
Tradução de Pedro Galvão

Uma linha de resposta bastante diferente para o problema da indução deve-se a Karl Popper. Popper olha para a prática da ciência para nos mostrar como lidar com o problema. Segundo o ponto de vista de Popper, para começar a ciência não se baseia na indução. Popper nega que os cientistas começam com observações e inferem depois uma teoria geral.

1 de Abril de 2004   Filosofia da ciência

A ciência como conhecimento derivado dos factos da experiência

A. F. Chalmers
Tradução de Pedro Galvão

Na Introdução arrisquei sugerir que o lema “A ciência deriva dos factos” capta uma concepção popular da característica distintiva da ciência. Nos primeiros quatro capítulos deste livro, esta perspectiva será sujeita a um escrutínio crítico. Descobriremos que muitas das implicações tipicamente atribuídas ao lema são indefensáveis.

Realismo e objectividade

2 de Fevereiro de 2012   Filosofia da ciência

“Esse gênero de imagem quotidiana do positivismo lógico”

Thomas Kuhn e o declínio da filosofia da ciência do empirismo lógico
Alan Richardson
Tradução de Luiz Helvécio Marques Segundo

No século XXI ninguém é empirista lógico. É certo que há não poucos filósofos cujo trabalho se assemelha em aspectos relevantes ao trabalho dos empiristas lógicos e que, de fato, se tivesse sido feito na década de 1950, seria um trabalho empirista lógico. Mas ninguém apresenta tal trabalho sob a rubrica “empirismo lógico”.

10 de Fevereiro de 2001   Filosofia da ciência

Ciência ou narrativa?

Pedro Galvão
A Verdade da Ciência: Teorias Físicas e Realidade
de Roger G. Newton
Tradução de Ernesto de Carvalho
Dinalivro, 1999, 302 pp.

“Sociólogos influentes anunciam, com grande confiança, que os resultados das ciências, obtidos com muito trabalho e através de muita observação, experimentação e reflexão, durante os últimos quatrocentos anos, nada têm a ver com a Natureza e o mundo externo em investigação, mas são apenas narrativas, como os mitos e os contos de fadas, ou o resultado de acordos sociais”.

13 de Outubro de 2008   Filosofia da ciência

Mudar de paradigma

Eduardo Dayrell de Andrade Goulart
A Estrutura das Revoluções Científicas
de Thomas S. Kuhn
Tradução de Carlos Marques
Lisboa: Guerra & Paz, 2009, 288 pp.

A Estrutura das Revoluções Científicas, de Thomas Samuel Kuhn (1922–1996), é uma das obras mais influentes em filosofia da ciência; menos pela solidez de seus argumentos do que pelo elevado número de divergências e debates que tem causado.

22 de Novembro de 2015   Filosofia da ciência

Ciência e objetividade

Álvaro Nunes

Houve um tempo em que as teorias eram eternas. Ou, pelo menos, assim pareciam. A física de Aristóteles e a cosmologia de Ptolomeu, por exemplo, ambas formuladas na Antiguidade, foram aceites sem muitas modificações até ao século XVII. Mas, nesse século, devido à revolução científica levada a cabo por Bacon, Galileu e Descartes e, em particular, por Newton, tudo mudou.

7 de Fevereiro de 2011   Filosofia da ciência

Realismo e anti-realismo

Samir Okasha
Tradução de Luiz Helvécio Marques Segundo e Sérgio R. N. Miranda

Há um debate antigo na filosofia entre duas escolas de pensamento opostas chamadas realismo e idealismo. O realismo sustenta que o mundo físico existe independentemente do pensamento e da percepção humana. O idealismo nega-o — afirma que o mundo físico é de algum modo dependente da atividade consciente dos seres humanos. A muitas pessoas, o realismo parece mais plausível do que o idealismo.

22 de Janeiro de 2016   Filosofia da ciência

Como evolui a ciência?

Karl Popper
Tradução de Pedro Galvão

Sugiro que o objectivo da ciência é encontrar explicações satisfatórias para aquilo que consideramos precisar de uma explicação. Por explicação (ou explicação causal) entendo um conjunto de enunciados em que uns descrevem o estado de coisas a ser explicado (o explicandum) enquanto que os outros, os enunciados explicativos, formam a “explicação” no sentido estrito da palavra (o explicans do explicandum).

17 de Maio de 2012   Filosofia da ciência

Argumentos acerca do empirismo construtivo

Paul Dicken
Tradução de Luiz Helvécio Marques Segundo

Deveriam os cientistas acreditar em tudo aquilo que dizem? Deveriam eles acreditar nas afirmações de suas teorias científicas bem desenvolvidas e na existência das coisas microscópicas exóticas que dizem agora popular os alcances inobserváveis da realidade? Ou uma atitude mais modesta perante a investigação científica seria preferível?

5 de Abril de 2012   Filosofia da ciência

Ciência e progresso

Tamires Dal Magro
O Progresso e seus Problemas: Rumo a uma Teoria do Crescimento Científico
de Larry Laudan
Tradução de Roberto Leal Ferreira
São Paulo: Editora Unesp, 2011. 352 pp.

Originalmente publicado em 1977, temos agora à disposição em português O Progresso e seus Problemas, de Larry Laudan. Escrito no contexto das discussões acerca da racionalidade e objetividade da ciência geradas pela publicação de A Estrutura das Revoluções Científicas (1962), de Thomas Kuhn, o livro de Laudan contribuiu para avançar o debate em filosofia da ciência...

17 de Maio de 2012   Filosofia da ciência

Em defesa do realismo científico

Stathis Psillos
Tradução de Luiz Helvécio Marques Segundo

Até agora tenho oferecido argumentos contra o empirismo redutivo, contra várias versões de instrumentalismo, tanto do tipo eliminativo quanto do tipo duheniano (não-eliminativo). Vimos que a chamada “via de Ramsey” não oferece um compromisso estável e satisfatório entre o realismo e o instrumentalismo.