História da filosofia

22 de Junho de 2019 ⋅ História da filosofia

Introdução à história da filosofia

A. C. Grayling
Tradução de Desidério Murcho

A história da filosofia, tal como hoje é vista por estudantes e professores de filosofia, é uma construção retrospectiva. É escolhida a partir do fluxo mais vasto da história das ideias de modo a fornecer os seus antecedentes às preocupações filosóficas de hoje. Tem de se fazer notar este facto mais que não seja para evitar confusões com as próprias palavras “filosofia” e “filósofo”.

30 de Novembro de 2018 ⋅ História da filosofia

Uma viagem alucinante pelas ideias

Marina Vaizey
Tradução de José Oliveira
How the World Thinks: A Global History of Philosophy
de Julian Baggini
Londres: Granta Books, 2018, 432 pp.

O intrépido filósofo Julian Baggini viajou pelo mundo, foi a conferências académicas, entrevistou dezenas de filósofos no activo, desde académicos a gurus, tentando compreender e estabelecer… bem, justamente o que o título do seu livro sugere.

1 de Janeiro de 1998 ⋅ História da filosofia

Filosofia

Anthony Quinton
Tradução de Paulo Ruas

A maioria das definições de filosofia são razoavelmente controversas, em particular quando são interessantes ou profundas. Esta situação deve-se em parte ao facto de a filosofia ter alterado de forma radical o seu âmbito no decurso da história e de muitas das investigações nela originalmente incluídas terem sido mais tarde excluídas.

1 de Janeiro de 1998 ⋅ História da filosofia

Um feito excepcional

Andrew N. Carpenter
Tradução de Desidério Murcho
A Brief History of Western Philosophy
de Anthony Kenny
Oxford: Wiley-Blackwell, 1998, 365 pp.

A nova história da filosofia de Anthony Kenny é um feito excepcional. O livro é acessível mas sofisticado, conciso mas abrangente. As suas principais fraquezas são as decisões editoriais do autor, por vezes surpreendentes e dramáticas, e a sua intermitente aplicação idiossincrática da filosofia analítica do século XX. Além disso, Kenny não fornece referências das citações que usa.

Filosofia contemporânea

9 de Janeiro de 2007 ⋅ História da filosofia

Sigmund Freud

O rei vai nu, dizem eles
Ana Cristina Leonardo

O médico vienense diria que, ao recusarem a psicanálise, os críticos apenas resistem aos seus próprios fantasmas e recalcamentos. Mesmo assim, houve sempre quem gritasse “o rei vai nu”.

25 de Março de 2019 ⋅ História da filosofia

Nelson Goodman

Catherine Z. Elgin
Tradução de Desidério Murcho

Nelson Goodman (1906–1998) foi um dos mais importantes filósofos do século XX. As suas obras reconfiguraram a epistemologia, a metafísica e a filosofia da arte. The Structure of Appearance (1977), que parte da sua dissertação de doutoramento, mostra como construir sistemas formais interpretados que resolvem ou dissolvem problemas epistemológicos e metafísicos persistentes.

3 de Julho de 2015 ⋅ História da filosofia

Vida e obra de Bertrand Russell

A. J. Ayer
Tradução de Desidério Murcho

Bertrand Russell detinha um lugar único entre os filósofos deste século porque combinava o estudo de problemas especializados da filosofia não apenas com um interesse tanto pelas ciências da natureza quanto pelas ciências sociais, mas também com um compromisso com o ensino primário e também universitário, e com uma participação activa na política.

1 de Janeiro de 1998 ⋅ História da filosofia

Filosofia analítica

Anthony Quinton
Tradução de Paulo Ruas

A filosofia analítica começou com a chegada de Wittgenstein a Cambridge em 1912 para estudar com Bertrand Russell e, como acabou por acontecer, para o influenciar de forma significativa. Entre as duas guerras mundiais, devido à influência dos escritos de Russell e do Tratactus Logico-Philosophicus (1922) de Wittgenstein, a filosofia analítica acabou por dominar a filosofia britânica.

1 de Janeiro de 1998 ⋅ História da filosofia

Filosofia continental

Anthony Quinton
Tradução de Paulo Ruas

A expressão “filosofia continental” adquiriu o seu significado corrente apenas a seguir à Segunda Guerra Mundial, quando o acelerado processo de mútua exclusão entre a filosofia praticada nos países de língua inglesa e no continente europeu, cuja origem se situa no início do século, finalmente foi reconhecido como tão profundo quanto de facto é.

4 de Setembro de 2009 ⋅ História da filosofia

Verdade intocável e definitiva

Routledge Philosophy Guidebook to Wittgenstein and the Tractatus
de Michael Morris
Londres: Routledge, 2009, 408 pp.

Quando Wittgenstein, após ter escrito no Prólogo do Tractatus que “a verdade dos pensamentos aqui comunicados parece-me a mim intocável e definitiva” e ter definido pensamentos, em 4, como consistindo em “proposições com sentido”, escreve em 6.54 que “as minhas proposições são elucidativas pelo facto de que aquele que as compreende as reconhece afinal como falhas de sentido [unsinnig]”...

12 de Novembro de 2004 ⋅ História da filosofia

A filosofia contemporânea

Anthony Kenny
Tradução de Desidério Murcho

Nesta nota, sem discutir obras individuais, irei limitar-me a indicar as linhas gerais do desenvolvimento filosófico ocorrido em décadas recentes. Por volta de 1960, poderíamos traçar o mapa do mundo da filosofia ocidental, sem um grau muito elevado de simplificação excessiva, por meio de um diagrama...

1 de Agosto de 2008 ⋅ História da filosofia

As confusões de Heidegger

Paul Edwards
Tradução de Vítor Guerreiro

Em tempos, Bertrand Russell referiu-se a Kant como a maior catástrofe na história da filosofia. C. D. Broad comentou que este lugar pertencia seguramente a Hegel. Tanto Russell como Broad se enganaram, porque este título pertence sem dúvida a Martin Heidegger.

6 de Março de 2004 ⋅ História da filosofia

Popper contra Wittgenstein

Desidério Murcho
Wittgenstein’s Poker: The Story of a Ten-Minute Argument Between Two Great Philosophers
de David Edmonds e John Eidinow
Nova Iorque: Harper Perennial, 2002, 352 pp.

O incidente levanta ainda hoje discussões acaloradas. Na única situação na qual dois dos maiores filósofos de origem austríaca (Popper e Wittgenstein) estiveram juntos, as coisas não correram bem. Popper apresentava uma conferência no King’s College de Cambridge, no Clube de Ciência Moral, sobre a existência ou não de problemas filosóficos genuínos.

28 de Dezembro de 2008 ⋅ História da filosofia

Profundamente original

Últimos Escritos sobre a Filosofia da Psicologia
de Ludwig Wittgenstein
Tradução de João Tiago Proença, António Marques e Nuno Venturinha
Lisboa: Gulbenkian, 2007, 372 pp.

Quando iniciei a licenciatura em Filosofia, em meados dos anos 80, não existia em Portugal — sinal do nosso atraso filosófico — uma única obra de Wittgenstein traduzida para a nossa língua (embora no Brasil, honra lhe seja feita, já existissem algumas edições).

28 de Junho de 2005 ⋅ História da filosofia

Wilfrid Sellars

Jay Rosenberg
Tradução de Eduardo Coutinho Lourenço de Lima

Wilfrid Stalker Sellars (n. 1912, m. 1989) foi um pensador sintético e profundamente criativo, cuja obra, tanto como um filósofo sistemático quanto um editor influente, ajudou a estabelecer e moldar a agenda filosófica anglo-americana por mais de quatro décadas.

29 de Dezembro de 2007 ⋅ História da filosofia

A vida de Wittgenstein

Ludwig Wittgenstein
de Edward Kanterian
Londres: Reaktion Books, 2007, 224 pp.

A mais recente biografia de Wittgenstein saiu há pouco tempo na editora Reaktion Books, e é um excelente relato da vida do pensador austríaco, escrita num estilo cativante e acessível, que seduz o leitor interessado desde o início do livro e o obriga a continuar a ler até ao seu final.

14 de Novembro de 2006 ⋅ História da filosofia

John Stuart Mill

Richard Reeves
Tradução de Rui Vieira da Cunha

Em Maio de 1873, o establishment britânico foi agitado por uma dura discussão. Dizia respeito ao legado de John Stuart Mill, recentemente falecido. O Times tinha publicado um obituário que era um exercício de assassínio póstumo de reputação. Foi escrito por Abraham Hayward, um advogado conservador e feroz crítico de liberais, feministas e filósofos.

16 de Janeiro de 2008 ⋅ História da filosofia

Refrescantemente original

Bertrand Russell e a Filosofia Analítica no Século XX
de Henrique Jales Ribeiro
Coimbra: Pé de Página Editores, 2007, 80 pp.

Eis um livro refrescantemente original e muito bem fundamentado, que abre novas e promissoras perspectivas de interpretação das filosofias de Bertrand Russell, do Wittgenstein do Tractatus e da história da filosofia analítica do século XX em geral.

1 de Outubro de 2005 ⋅ História da filosofia

O clube metafísico

Desidério Murcho
The Metaphysical Club: A Story of Ideas in America
de Louis Menand
Londres: Flamingo, 2002, 560 pp.

O Clube Metafísico foi formado nos anos setenta do século XIX por jovens americanos que vieram a exercer uma enorme influência nas ideias do seu tempo: os filósofos Charles Peirce, John Dewey e William James, e o jurista Oliver Wendell Holmes Júnior, entre outros.

Filosofia Moderna

19 de Julho de 2004 ⋅ História da filosofia

A vida de Kant

Mito e verdade
Desidério Murcho
Kant: A Biography
de Manfred Kuehn
Cambridge: Cambridge University Press, 2002, 566 pp.

“A vida de Kant não tem história: viveu uma vida mecânica, escrava do seu racionalismo desumano, sem emoções nem paixão, dedicada às grandes abstracções da filosofia, sem contacto com a vida real. Os habitantes de Königsberg (actual Kaliningrado) regulavam os seus relógios pela pontualidade dos seus passeios”. Esta é a imagem que o público tem da vida de Kant.

9 de Março de 2011 ⋅ História da filosofia

George Berkeley

Michael Ayers
Tradução de Jaimir Conte

George Berkeley (1685-1753) estudou no Trinity College, de Dublin, onde foi eleito Junior Fellow em 1707 e ao qual permaneceu ligado até ser nomeado Deão de Derry em 1724. Em 1734 foi nomeado Bispo de Cloyne.

14 de Maio de 2010 ⋅ História da filosofia

A epistemologia e metafísica de Hume

Sérgio R. N. Miranda
Hume’s Epistemology and Metaphysics
de Georges Dicker
Londres: Routledge, 1998, 232 pp.

Quando estudamos história da filosofia e queremos ter uma visão geral sobre o pensamento de um determinado autor, os principais problemas que discute, as suas teses e argumentos centrais, ou quando estudamos algum tema espinhoso e queremos saber o que esse autor disse a esse respeito, é sempre útil consultar um bom livro introdutório que nos permita seguir em frente...

11 de Fevereiro de 2004 ⋅ História da filosofia

Liberdade religiosa e política

Desidério Murcho
Espinosa: Vida e Obra
de Steven Nadler
Tradução de José Espadeiro Martins
Mem-Martins: Europa-América, 2003, 396 pp.

A Cambridge University Press reactivou a sua colecção de biografias de grandes filósofos, na qual há uns anos tinha editado a biografia de Hobbes, da autoria de A. P. Martinich. No espaço de um ano foram publicadas biografias académicas de Nietzsche, Hegel, Kant e Kierkegaard.

20 de Outubro de 2004 ⋅ História da filosofia

O juvenil Tratado

Pedro Galvão
Tratado da Natureza Humana
de David Hume
Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2002, 740 pp.
Tradução de Serafim da Silva Fontes
Revisão científica e prefácio de João Paulo Monteiro

Não é difícil encontrar obras de grande ambição na história da filosofia, mas entre estas são muito poucas as que acabaram por se revelar efectivamente inovadoras, profundas e inspiradoras. O Tratado da Natureza Humana é um desses raros exemplos. Esta obra singular em tantos aspectos, a começar pela juventude do autor, marcou definitivamente todas as áreas maiores da filosofia.

3 de Novembro de 2005 ⋅ História da filosofia

O que é o esclarecimento?

Immanuel Kant
Tradução de Luiz Paulo Rouanet

Esclarecimento (Aufklärung) significa a saída do homem de sua menoridade, pela qual ele próprio é responsável. A menoridade é a incapacidade de se servir de seu próprio entendimento sem a tutela de um outro. É a si próprio que se deve atribuir essa menoridade...

Filosofia medieval

24 de Junho de 2004 ⋅ História da filosofia

Fallor ergo sum

Desidério Murcho
Santo Agostinho
de Gareth B. Matthews
Tradução de Hugo Chelo
Revisão de Desidério Murcho
Lisboa: Edições 70, 2008, 244 pp.

A maior parte das pessoas pensa que foi Descartes quem pela primeira vez descobriu o argumento fatal para os cépticos: podemos estar enganados acerca de tudo, mas para podermos estar enganados temos de existir: “cogito ergo sum” (penso, logo existo).

2 de Maio de 2008 ⋅ História da filosofia

Devemo-lo aos árabes?

José Pedro Teixeira Fernandes
Aristote au Mont Saint-Michel: Les Racines Grecques de l’Europe Chrétienne
de Sylvain Gouguenheim
Paris: Éditions du Seuil, 2008, 280 pp.

O historiador e medievalista francês, Sylvain Gouguenheim, professor da Escola Normal Superior de Lyon, publicou recentemente um livro polémico, que já lhe valeu a hostilidade de vários colegas de profissão.

Filosofia antiga

17 de Julho de 2016 ⋅ História da filosofia

O nascimento da filosofia

William Jordan
Tradução de Desidério Murcho

A filosofia emergiu no século VI a.C. em Mileto, uma colónia grega na Ásia Menor, com três figuras, Tales, Anaximandro e Anaxímenes, que se interessaram por duas questões principais — “de que é feito o mundo?” e “como se deu origem ao mundo?”.

13 de Janeiro de 2016 ⋅ História da filosofia

Filosofia, retórica e democracia

Álvaro Nunes

A investigação racional que está na origem da filosofia e da ciência actuais começou com Tales de Mileto no século VI a. C. Mas tanto ele como a maior parte dos filósofos pré-socráticos que se lhe seguiram, quer fossem próximos quer fossem ou geográfica e temporalmente mais distantes, faziam da realidade física o seu objecto principal de estudo.

19 de Janeiro de 2016 ⋅ História da filosofia

Persuasão e manipulação

Álvaro Nunes

É no diálogo Górgias, em que uma das personagens principais é o sofista do mesmo nome, que o conflito que opôs, na Antiguidade, os filósofos aos mestres de retórica a propósito da educação é melhor tratado por Platão. O que se segue é um resumo de algumas das ideias mais importantes desse diálogo.

16 de Setembro de 2010 ⋅ História da filosofia

A musa ática

Aldo Dinucci
Banquete e Apologia de Sócrates
de Xenofonte
Tradução de Ana Elias Pinheiro
Coimbra: Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos, 2008, 105 pp.

É notória a falta de boas traduções das obras clássicas em língua portuguesa. Editoras universitárias muitas vezes oferecem boas traduções de clássicos, comentadas e anotadas, mas, infelizmente, por via de regra essas editoras têm uma distribuição deficiente e, por essa razão, trabalhos de pesquisadores competentes e dedicados se perdem no esquecimento.

18 de Fevereiro de 2010 ⋅ História da filosofia

Radicalização do exame filosófico

Jaimir Conte
Os Céticos Gregos
de Victor Brochard
Tradução de Jaimir Conte
São Paulo: Odysseus Editora, 2010, 464 pp.

A tradição filosófica ocidental que teve início na Grécia com uma série de pensadores freqüentemente denominados de “pré-socráticos” foi marcada por uma forte atitude crítica relativamente às próprias teorias filosóficas.

18 de Março de 2008 ⋅ História da filosofia

Carta a Meneceu

Epicuro
Tradução de Desidério Murcho

Que nenhum jovem adie o estudo da filosofia, e que nenhum velho se canse dela; pois nunca é demasiado cedo nem demasiado tarde para cuidar do bem-estar da alma. O homem que diz que o tempo para este estudo ainda não chegou ou já passou é como o homem que diz que é demasiado cedo ou demasiado tarde para a felicidade.

1 de Julho de 2015 ⋅ História da filosofia

Górgias: O manifesto platónico pela filosofia

Charles H. Kahn
Tradução de Teresa Castanheira

Com o Górgias deparamo-nos com uma das mais importantes obras de Platão e também uma das mais longas. (De todos os diálogos, só a República e as Leis são maiores). Em nenhum outro as componentes filosófica e dramática da arte de Platão são tão poderosamente combinadas como no confronto aqui encenado entre Sócrates e os seus sucessivos interlocutores.

1 de Janeiro de 1998 ⋅ História da filosofia

O paradoxo da investigação de Ménon

Pedro Madeira

O paradoxo da investigação de Ménon surge no diálogo platónico com o mesmo nome. Ménon e Sócrates estão a discutir sobre a virtude; a dada altura, Ménon diz: “Como é que podes tentar descobrir o que isso [a virtude] é, Sócrates, quando não fazes a mínima ideia do que isso seja?”

31 de Março de 2007 ⋅ História da filosofia

A República de Platão

Simon Blackburn
Tradução de Luís Gottschalk

Se é que alguns livros mudam o mundo, a República pode bem reivindicar o primeiro lugar. É habitualmente considerada a realização suprema de Platão como filósofo e escritor, brilhantemente suspensa entre os primeiros diálogos zetéticos e inconclusivos e as especulações cosmológicas e dúvidas menos impositivas dos mais tardios.

10 de Novembro de 2006 ⋅ História da filosofia

Epicteto em pratos limpos

Aires Almeida
A Arte de Viver
de Epicteto
Introdução, tradução e notas de Carlos de Jesus
Lisboa: Edições Sílabo, 2007, 77 pp.

É de saudar a tradução directa do grego para português do Manual de Epicteto, um dos mais populares e acessíveis textos do estoicismo, a escola de pensamento fundada mais de trezentos anos antes por Zenão de Cítio.

Filosofia chinesa

6 de Novembro de 2004 ⋅ História da filosofia

Os primórdios do pensamento chinês

André Bueno

Podemos afirmar que a gênese da Filosofia chinesa tradicional, tal como a conhecemos hoje, situa-se no século VI a.C. com Confúcio, Laozi, e o estabelecimento das primeiras escolas de pensamento da antiguidade.

18 de Agosto de 2004 ⋅ Estética

O mundo nos veios de um jade

A arte tradicional chinesa
André Bueno

A civilização chinesa é permeada por uma concepção única de universo, que exerce seu domínio sobre a intelectualidade desde tempos imemoriais e se espalha por todos os campos do conhecimento. Sábio e camponês compartilham, em seu imaginário, uma visão semelhante sobre o mundo, embora seus conhecimentos sejam bastante diferentes.

20 de Novembro de 2004 ⋅ História da filosofia

A estrutura do pensar chinês

André Bueno

Minha preocupação inicial neste artigo é falar um pouco sobre este tema tão pouco (e mal) conhecido por nós, ocidentais, que é o pensamento chinês. Constantemente banalizado por abordagens superficiais...

9 de Setembro de 2004 ⋅ História da filosofia

Confúcio, o humanista chinês

André Bueno

A base mais segura para discutirmos o surgimento do antigo pensamento chinês esta afixada na figura do sábio Kungzi (VI a.C.), que os missionários portugueses do século XVI chamaram de Confúcio.

18 de Fevereiro de 2004 ⋅ História da filosofia

Lógica chinesa?

André Bueno

A razão pelo qual decidi produzir este artigo deve-se à um problema essencialmente “ocidental” em relação ao pensar filosófico: existe ou não um sistema de lógica formal clássica na China?

31 de Agosto de 2004 ⋅ História da filosofia

Laozi e Zhuangzi

Mestres do Caminho
André Bueno

Em meio ao caos que se instalava no século VI a.C., a proposta do misterioso mestre Laozi (contemporâneo de Confúcio) surgiu com um elemento bastante inovador nas formas de pensar chinesas: baseando-se num distanciamento claro das decadentes instituições políticas dos Zhou, este sábio defendia, no seu Daodejing (Tratado da Virtude e do Caminho) um retorno à natureza primordial do ser...

22 de Setembro de 2004 ⋅ História da filosofia

O problema do pensamento asiático

Filosofia ou não?
André Bueno

Em trajetória concomitante, Oriente e Ocidente se afastaram, no passado, e perdemos o ponto de referência, de diálogo. Ambos estranhavam-se, mas também se admiravam. Geravam fascínio mútuo, um instigador da busca pelo diferente — este contestador natural e legítimo de toda alteridade.

TopoInícioSeguinte
Copyright © 2019 criticanarede.com
ISSN 1749-8457